segunda-feira, 11 de maio de 2009

DESINTOXICARSE DO TELEMOVÊL

ANTES o levaba conmigo duma asoalhada a outra quando estava em casa, quando saia só para ir de compras ou deitar foro o lixo ou outra coisa qualquera que não dura nada, ia conmigo. Ao terraço levava uma toalha, um livro, uma garrafa de agua e ..... o indispensavel telemovel. Quando me esquecia "dele" ao sair de casa, voltava para o procurar .... Quando ia a passeiar para relaxarme o levava. O levava ao cinema, ao teatro, a casa de amigos, ao centro de meditação, ao restaurante, até à piscina De noite ficava ao lado da cama. Nunca o apagava e muito raras vezes o metia em silencio. Achei uma impertinencia que deve-se apagar em certas partes de hospitais. Num avião o meu primeiro gesto quase automatico depois de aterrar era pôr o telemovel. Na escola durante as aulas tambem tocava, para assim dar aos estudantes a oportunidade de dizer que era muito pouco democratico que eles tinham de apagar os telemoveis e os professores não o faziam (De facto eles tambem não apagam, metem em silencio e quando liga alguem vão para a casa de banho, Ah, meninos, não somos parvos !!! )

E depois decidi que não queria ser dependiente dum aparelho e comecei a me desintoxicar. Nem foi facil !! Ao principio quando o deixava em casa sentia-me muito ....... não sei, talvez insegura, ......... Tinha a impressão que precisamente neste momento tinha de haver uma chamada importante ....... e pensava "que faria se eu tivesse de fazer uma chamada" ... etc . etc

E agora, DOCE LIBERDADE, as vezes levo e outras não. Quando me esqueço - e esqueço-me muitas vezes - não me causa problema nenhum. Nunca o levo quando vou passeiar por exemplo num parque.. e até esqueço de olhar depois de voltar para saber se entretanto ligou alguem. Da-me uma grande satisfacção não sentir o impulso de olhar cada meia hora se houve chamadas e de quem, é de facto um sentimento de liberdade e independencia.

Proximo passo, o computador ??!! Mas isso já é muito mais complicado porque tuda a correspondencia profissional da escola, do director, dos colegas, dos estudantes, do ministerio, do sindicato, as malditas plataformas do Moodle, etc etc faz-se por internet, a communicação privada tambem passa por ali, convites, facturas, jornais ......... ou seja estou obrigada a olhar os e-mails pelo menos duas vezes por dia durante a semana. Até se não escrevesse um blog, se não tivesse corresponcia privada, se não jogasse, se não lia nada, ainda haveria computador e e-mails na minha vida. E preciso resignar-se ao facto que não se pode viver na sociedade sem computador.

Provavelmente até um eremita no meio da floresta hoje em dia precisa dum computador porque deve pagar o aluguer da cabana de eremita ao banco e todos os dias recebe um newsletter da associação dos eremitas e depois escreve um blog sobre a vida de eremita e participa na discussão num forum chamado "nos, os eremitas" e consulta a Wikipedia para saber as novedades sobre como plantar batatas na floresta, ah, e se quiser mudar de cabana ??!!

Pois www. cabanadeerimitasemocasão.com ou www. omelhorparaavidasolitaria.org :)))

12 comentários:

Graça Pimentel disse...

Achei piada às tuas palavras. Realmente a dependência do telemóvel é enorme. Por mim falo. Vamos ver se eu conseguirei desintoxicar-me...

Beijinho

mdsol disse...

Q. Wolkengedankenzinha:


Não sei se achas que não há coincidências mas sim sincronidades. Para mim, leiga qu esu, chamo coincidências. Pois bem: o telemóvel é um aparelho que uso desde 1994. Não sei se na Àustria nesse ano já estava vulgarizado, mas aqui em Portugal ainda muito pouca gente usava. Houve alturas em que o usava muito. Hoje em dia até me esqueço dele. Hoje, um amigo enviou um mail a dizer que tinha ligado duas vezes. Peguei no telemóvel quue estava dentro da carteira (bolsa) e o aparelho ... nada. Não respondia. Ligave e ele voltava a ir abaixo. Respondo ao mail e digo: Acho que o telemóvel está avariado, nem consigo ligá-lo. Estragou-se sozinho, porque ontem estava bom.
Entretanto resolvi ligá-lo ao carregador. Para ver o que acontecia... Pois! Era só falta de bateria rsrsrsr. Já viste? Hoje em dia uso tão pouco o telemóvel que nem dou conta que está sem bateria e que convém, volta e meia, carregá-lo.
Do computador não te livres totalmente, digo eu. Dos mailes tido bem, mas do blog não! rsrsrsrr

beijinhos por computador

:))))

bettips disse...

Não uso habitualmente, não gosto, resisti, admito que usem, enerva-me conversar com alguém que está constantemente a olhar para outro lado ... etc. Enfim! Tenho um "tijolo" para receber mensagens, só para família. Mas o computador...esse é uma janela para o mundo!
"pas de nouvelles, bonnes nouvelles"
Bjinho

intimidades disse...

super relaxada, tive um bom dia, muito trabalho mas um bom dia

infelizmente tenho de usar muito o telemovel para o trabalho mas as vezes so me apetece deita-lo fora

Jokas
Paula

L disse...

Um dos vícios que nunca tive. Se precisa de ficar a carregar em casa enquanto vou trabalhar, lá fica. Desligo-o quando não quero ser incomodado. Já o computador e a net fazem falta, mesmo por causa do trabalho. Se pensarmos em tudo aquilo de que estamos dependentes...

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola Graca ! Boa sorte pelo intento :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola amiga da ilha !

coincidencia ou sincronidade ? Nao sei, sao so palavras para descrever um fenomeno que de todas as formas nao se chega a explicar em termos de causalidade cientifica ....

Gosto de ouvir que es dona do teu telemovel e nao ao contrario :)) A falta de bateria é uma boa senhal, eu em tempo de alta dependencia cheguei uma vez a levar o carregador para uma palestra e meti o telemovel em carga numa esquina da sala :((

Do computador nao me livro, nao, nem posso nem quero porque tem muitas funciones na minha vida e nao todas sao de dependencia, FELIZMENTE :)) E o blog ? Já tem um ano é boa saude :))

boa estadia na ilha :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Ah, Bettips eu tambem acho extremamente mal educadas essa pessoas que falam ao mesmo tempo com nos e com o telemovel :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola Paula !

Deitar fora ? excelente ideia, so que depois iriamos a procura a quatro patas porque la estao todos os numeros que precisamos :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola Luis !
Tens razao. Imagina se deixassem de funcionar todos os computadores e outros aparelhos mais o menos uteis do mundo: a mitade da humanidade moreria e o resto voltaria a idade de pedra. Talvez nao seria rao mal :)))

mena m. disse...

Eu posso dizer-te que não tenho telemóvel!!!
Quando estou de férias o meu filho empresta-me um.

Quants vezes ele toca e eu digo para os outros:alguém tem um telemóvel a tocar...

Quanto ao computador já seria mais difícil!

Hoje nasceu o meu neto Francisco!
Um fofo!

Beijinhos

WOLKENGEDANKEN disse...

Eu tambem resisti muito tempo. Nao me parecia muito desejavel que se me pudesse ligar em qualquer momento. Sempre digo que foi a ultima pessoa na Austria a comprar um telemovel :)) Comprei em 2003 e ainda tenho o mesmo aparelho, mas colectei tantos "pontos" que já poderia receber dois novos telemoveis gratuitos. Mas para o que, se o velho funciona ??

Viel Glück für Francisco und seine Familie, vor allem für die Oma in Berlin !!