domingo, 6 de abril de 2008

Shambala1

INTRODUCAO

Naturalmente para criar um blog e depois apresentar os nossos pensamentos e talvez até sentimentos a qualquer pessoa que tiver interesse em lê-los precisa-se duma certa dose de exibicionismo. Numa sociedade globalizada e virtual em que a autenticidade das vivências é cada vez mais substituída por uma vida emocional de segunda mão baseada na imprensa sensacionalista VIP, telenovelas etc., qualquer vivência autêntica é um tesouro a proteger. Então porquê esse blog? La sei! Mas existe..
O propósito desse diário é juntar três dos muitos " campos de interesse" da minha vida: escrever, aprender português e aproximar-me dos pensamentos budistas e da prática da meditação. Vamos ver o resultado do projecto. Na tradição Zen o resultado dos esforços duma pessoa pouco importa, o que importa é o caminho, mas em realidade nada importa, a pessoa como ego pessoal não existe.... E naturalmente fazer um blog é prova da existência dum ego pronunciado. Bom, enfim, ainda tenho direito a contradições e o zen provavelmente não é exactamente o meu caminho.

Antes de esquecer: agradeço ao meu amigo virtual Spielenschach as suas correcções do meu português ainda muito rudimentar






PRIMEIRA APROXIMAÇÃO - 22.12.2007

Fui com muita cautela sabendo exactamente o que não quería mas sem ideias muito concretas acerca do que sim queria: satisfazer curiosidade, aprender algo novo, conocer a pessoas com quem compartilhar uma certa ideia de espiritualidade ...... De qualquer forma antes de me arriscar num mundo completamente desconhecido queria primero ver algunas pessoas practicantes.

Era 2 dias antes de Natal e aqueles budistas festejaban o solsticio de inverno com um "dia das crianças" em que os meninos representariam uma peça de teatro intitulada "Liana procura a luz". Uma ocasão sem compromisso para dar uma olhada tanto curiosa como cuidadosa.

O centro Shambhala situando-se numa parte muito animada da cidade caminava-se por um gigante mercado de Natal num ambiente alegre, colorido e muito consumista. Cheguei a porta do centro. Tera sido uma loja porque ainda tem umas vitrinas grandes que permitem ver o que se passa no res-do chão. Parecia uma mixtura entre um salão e um café. Muita gente, um vestuario com casacos, botas, zapatos, luvas, sacos com pacotes para o Natal, uma cozinha onde se preparava um bufé com os pratos que muitos tinham trazido, muitas crianças em disfarces, e por todos lados ceramica com arranjes de flores espectaculares, um caos muito simpatico e acolhedor.




A peça de teatro era uma alegoria do caminho da vida, e as crianças divertiam-se, o público também. Quando os actores não sabíam os textos todos ajudavam. O ambiente era relajado, alegre, com muito sentido de humor, mas notava-se tambem que aquela gente tinha solidas conviccões, só sem nenhum fanatismo.





Depois inaugurou-se o bufé e tive a oportunidade de conhecer a muitos destos "shambhalistas". (O “caminho Shambhala” é uma aproximaçao ao budismo criada por Chögyam Trungpa Rimpoche, um lama tibeto que estudou e viviu em America e Inglaterra.) Os “adeptos” que conheci eram todos pessoas vivendo neste mundo, integrados na sociedade, a grande majoria com carrerras universitarias. Em nada se parecia isso a uma reunião duma secta ou dum mais o menos oscuro grupo esoterico.
O que mais gostei foi o sentido de humor. Falou-se por exemplo de que se tinha que ter pensado em decorar a estatua do Budha na vitrina em Pae Natal....

IMPRESSÕES:
Uma criança - sem querer- tinha tirado no chão uma destas jarras espectaculares e ficou todo em cacos. A criança chorava, mas treinta segundos depois la havia alguem para consola-la. O pai da menina apareciou com uma escova, outra pessoa limpou a agua e numa velocidade impressionante todo estava arranjado sem nenhuma emoção negativa

Tinha apreciado muito um certo doce que havía no bufe. Quando fui a despedir-me um homen que nem tinha conhecido deu-me um pacote dizendo "gostaste muito destos doces, pois leva os que ficaram". Gesto carinhoso com uma pessoa desconhecida.

Resumindo: a primera aproximação mais social que espiritual e mais de curiosidade que de conviccão revelou-se extremamente positiva. Fui-me de alí com bons sentimentos, muitos livros e uma inscrição para o proximo fim de semana de introduccão a meditação.

A SEGUIR

4 comentários:

ALMARIADA disse...

«Tinha apreciado muito um certo doce que havía no bufe. Quando fui a despedir-me um homen que nem tinha conhecido deu-me um pacote dizendo "gostaste muito destos doces, pois leva os que ficaram".»

Esta frase comoveu-me! Aqui vai a tentativa de mostrar a minha expressão com lágrimas e sorriso:

:¨)

Também me interroguei no início sobre porquê fazer um blog - é por isso que escrevi "palavras para quê? imagens para quê?"

E ainda não sei muito bem porque é que o faço, mas não estou nada arrependida. Tem sido muito bom.

Acho que comecei porque vi blogs de que gostei e pensei que se as pessoas não os fizessem eu não os teria visto...

e também porque quando queria escrever um comentário achava um bocadinho injusto andar a dar a minha opinião nos blogs dos outros e não ter um blog também para as pessoas poderem dar as suas opiniões...

WOLKENGEDANKEN disse...

Sabes, Almariada, o fantastico é que practicamente todas as pessoas que conheci neste centro Shambhala sao assim. Abertos, amaveis, atenciosos,serviaveis, alegres ........ é o que chamam "a comunicacao de coracao a coracao".....

Ainda nao descobri um bom motivo para fazer um blog :) ..... Mas como gosto, pois fazo e ponto. E fico contente de ter cruzado de alguma maneira o caminho das pessoas que aqui apareceram :))

ALMARIADA disse...

Sim, o blog tem sido muito mais importante na minha vida do que eu pensava que ia ser!

Não disse a ninguém que tinha um blog. É mesmo para ver o que acontece...

E o que tem acontecido é esta comunicação tão agradável! ;)

WOLKENGEDANKEN disse...

Sim, eu tambem gosto :)) De facto há muitos blogs onde se troca informacao e nao há comunicacao nenhuma e há outros que sao só para um grupo de pessoas que já se conhecem .....

A mim interessam-me as pessoas, como vivem, o que pensam, o que sintem ....Se nao houvesse comunicacao deste tipo nao dedicaria tempo nenhum a escrever e ler blogs. Mas felizmente existe tambem este tipo de comunicacao gracas a ti e outras pessoas, entao é quando eu gosto ..... :))