domingo, 14 de setembro de 2008

TCM - EM PORTUGUES PROVAVELMENTE MTC

Ontem conheci a uma pessoa formada em medicina tradicional chinesa ( TCM ou MTC ?). Falou-se da utilidade da meditação e ela disse que a meditação e outras "actividades" do género eram segundo a TCM muito aconselhadas para pessoas com excessos de Yang e falta de Yin, ou seja para practicamente qualquer pessoa que vive no ritmo normal na nossa sociedade. Porque

"O Yin nutre o Yang, mas o Yang come o Yin "

Como não entendo grande coisa da teoria da TCM foi a consultar um livrinho simples sobre o tema. Tinha emprestado ao meu osteopata que com tanto dinheiro que já la deixei não podia dizer que não :-))

A informação básica:

Da energia original , do Tao, surgiram o Yin e o Yang, as duas forças presentes em toda a natureza e pelo tanto tambem em nos. O equilibrio das duas forças é a base da saude, a dissocião leva a morte.

O Yin é a força passiva, o sonho, a lua, a noite, a sombra...
O Yang é a força activa, o dia, o sol, o calor ...

A continua transformação de Yin em Yang e de Yang em Yin produz o Qui, a energia vital. Esta transformação permanente é a caracteristica mesma da vida, as duas forças são complementarias, uma não pode existir sem a outra.

O meu livrinho simples tem fotos de crianças para ilustrar estados Yin e Yang: a criança activa que brinca e Yang, a criança que dorme é Yin


o excesso de Yang seria caracterizado por: o corpo quente, a garganta seca, os olhos secos, a pessoa é nervosa e facilmente irritavel. Tem muita sede, gosta de bebidas frias, fala alto e rapidamente, tem problemas de digestão, é impaciente e discute com frequencia
a falta de Yang: a pessoa não tem nem calor, nem energia e o corpo não resiste a certas doenças como resfriados. As dores de costas e a impotencia tambem se devem a uma falta de Yang.

Para ilustrar os efectos positivos duma formação tanto em medicina occidental como em medicina chinesa e ainda por cima em osteopatia .... Naturalmente tambem terá efectos positivos para a saude e o equilibrio dum médico duma formação tão amplia e completa , mas aqui estou a me referir aos efectos na sua conta bancaria. Admirem a "horrivel barraca" onde mora e trabalha o meu osteopata :))







Não é para falar mal do doctorzinho que estimo muito porque me ajudou onde a medicina "nossa" não me ofereceu nada. Mas tambem é um facto que os diversos tratamentos de medica alternativa que seja algo tão serio como a medicina chinesa o qualquer charlataneria apenas se fazem a um preço que fica inacessivel para uma grande parte dos pacientes potenciais.

Bom, para voltar ao tema inicial: parece-me ser relativamente facil, pelo menos na teoria, aumentar o Yin. Pode-se dormir e descansar e relaxar-se mais.... Mas agora tenho que confessar que não vejo muito bem como solucionar a falta de Yang. Sim, sim, já sei o Yin nutre o Yang......
Mas, se uma pessoa que já está num estado de grande passividade e sem energia, ainda dorme e descansa mais diria que se transformará numa parte da paisagem ou num legume .... mas nao: o Yin nutre o Yang ....

Será um destos paradoxos fascinantes que com a lógica não se conseguem captar mas que se revelam verdadeiros pela vivencia.....

22 comentários:

LuCe disse...

O Yin nutre o Yang e o Yang penetra no Ying, possibilitando que o Ying possa nutrir o Yang. Este comentário não resolve o paradoxo, mas o pensamento abstracto gosta de ser exercitado, mesmo que diga uma série de disparates :)

WOLKENGEDANKEN disse...

Sim, efectivamente :)) A forma de falar dum "paradoxo" no "universo cartesiano" com uma linguagem cartesiana nao pode dar outro efecto....
E como se um animal vivendo no deserto e perfeitamente adaptado ao seu entorno faria comentarios - na sua linguagem de deseerto - sobre o funcionamento das marés sem nunca ter visto o mar e nem sequer podendo imaginar o que é um mar :))

dona tela disse...

Amoroso, amoroso é o post que acabei de fazer.

Muitos cumprimentos.

ALMARIADA disse...

Bom dia! Gostei de tudo :) Do post, das fotografias e dos comentários :) Muito obrigada! :) Foi um bom início de dia!

Anônimo disse...

É um paradoxo fascinante (toda a gente conhece o famoso símbolo circular),mas não tenho resposta para ele. De modo que fui-me "ressourcer" no "Dictionnaire de la Sagesse Orientale" e cito-te um pequeno pedaço do longo artigo s/YIN-YANG :«A chaque fin succède un commencement, à chaque extrémité un renouveau. Tout est accordé avec tout... L'élément qui est à l'origine de tous les êtres, qui leur donne naissance, est le Grand Un ; ce à partir de quoi les êtres se forment et s'accomplissent, est la dualité de l'obscur et du lumineux.»1[1.Cité d'aprês Frühing und Herbst des Lü Bu We,1979,p.56]
Fui muito longe para um simples comentário...Maneira de compensar a minha ignorância...Uma dica: tenta saltar da sincronia para a diacronia (e vice-verso).
:))) Zé-Carlos

bettips disse...

Nas minhas andanças por amigas(os) comuns, vim ter a VIENA!!! e com que gosto. Desejo-te um bom princípio de ano.
Estive em Viena em 2000 e nunca mais me hei-de esquecer dos cantos dessa cidade! Abraços de cá, com sol, vento e tudo (o desconforto são estes snrs. mal encarados da televisão, cá e por esse mundo fora...).

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola J-C !

Ignorancia ?! Nao se pode saber tudo !

"La dualité de l´obscure et du lumineux" ..... isso mesmo, e que bonito é o frances :))

Sobre saltar entre sincronia e diacronia tenho que reflectir ..... Soa interessante :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola Bettips !
Benvinda! Vi no teu blog que es uma fa de Viena que - segundo as fotos- moras em Lisboa e que compartilhamos o gosto pela pintura.
A proxima ocasao vou olhar com mais tempo :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola José-Carlos !

A sincronia e a diacronia ficaram na minha cabeca e criaram uma confusao consideravel!!
O que tu querias dizer é que se pode tentar ver momentos consecutivos como simultaneos e os simultaneos como consecutivos ??? Ao menos é isso o que eu entendi e tentei e acho ABSOLUTAMENTE FASCINANTE ! e muito dificil e cria uma confusao enorme MAS o consusao é o primeiro passo em direccao da sabidoria, nao é ?

Por isso muito obrigada pela dica. E se tiver comprendido mal, pois explica-me por favor !!

um beijinho

Anônimo disse...

Olá W. !
Foste ainda mais longe -- mas com razão... -- do que o que eu queria dizer ! Parabéns ! Eu estava só a querer dizer duas coisas :
1 - Não nos devemos
deixar "encerrar" só na sincronia, nem na diacronia. Daí o falar em "saltar" (e "vice-versa").
2 - Há paradoxos que só o são se ficarmos "fechados".

Fico muito contente com mais este teu passo para a "sabedoria"...

:))) Zé-Carlos

Anônimo disse...

P.S. --
Isto da articulação entre sincronia e diacronia vem-me de ser transdisciplinar e de ter que fazer pontes entre disciplinas que se situam num ou noutro dos planos.

:))) Zé-Carlos

poetaeusou . . . disse...

*
que interessante,
vou tentar compreender . . .
,
conchinhas
,
*

mdsol disse...

Q. wolkengedanken:

Gostei muito de ler o teu post! Leio, reflicto e aprendo!
beijinhos

:))

WOLKENGEDANKEN disse...

José-Carlos: tantas coisas para descobrir :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Poeta: conchinhas budistas ! Espero que sejam reais e nao apenas ilusao :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Solzinha :
Sempre pensei que nao tinha absolutamente nenhum lado missionario, mas estou tao fascinada pela filosofia budista que fico contente que outras pessoas leam, sobre tudo pessoas que me sao simpaticas

Beijinhos para ti :))

Anônimo disse...

Querida W.

Ainda s/ sincronia/diacronia, mas também s/ obscuro/luminoso, nâo te esqueças :
"ou...ou" ou "e...e"...

:)) Zé-Carlos

WOLKENGEDANKEN disse...

Nao so que nao me esqueco, tenho a impressao que a minha mente abriu mais um "programa paralelo" ao resto das actividades que apenas trabalha sobre o tema :))

ALMARIADA disse...

Isto se calhar vai parecer um bocado brutal mas é assim... estas questões pertencem à lógica da linguagem.

Complementares, ou relativos, são os conceitos que se definem um em relação ao outro (o yin e o yang, a luz e a escuridão, o masculino e o feminino, o bem e o mal, o belo e o feio, a sincronia e a diacronia, etc.)

Para lá deles está a unidade (Tao, Deus, Verdade, etc.) que lhes dá origem.

Se falamos de relativos dizemos "e, e" quando ambos estão presentes,

"ou, ou" quando a presença de um exclui a do outro,

"nem, nem" quando ambos desaparecem para dar lugar à unidade.

Anônimo disse...

UNIDADE -- palavra chave... (vê o cabeçalho dos meus blogs).
Estou a ver que tenho companhia...

:)) Zé-Carlos

Anônimo disse...

Estive a rever o teu post e a nossa sucessão/intercâmbio de comentários. E acho uma pena estar tudo em comentários que poucas pessoas veem. Não quererás agarrar neste monte e reunir tudo num só post ? Sei que dá um bocado de trabalho... Mas até é uma maneira, para ti, de pores as ideias em ordem. E, para ser mais simples, em vez de uma prosa corrida podes fazer por alíneas...

:)) Zé-Carlos

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola J-C !

Boa ideia, mas este fim de semana estou a trabalhar a practica da coisa: tenho um seminario de "treino Shambhala". E depois vou fazer um post.

beijinhos :))