sexta-feira, 29 de agosto de 2008

CONVERSA COM O TRANSDISCIPLINAR JOSE CARLOS - DISCUSÃO ABERTA A TODOS E TODAS - 1 -

Em lugar de fazer comentarios em diversos blogs escrevo aqui, está bem ?

O encontro com este "primeiro lama da minha vida" :) (O próximo está planificado para abril) não foi um encontro pessoal. Sabes, por causa da minha historia o meu desejo de gurus, mestres e demais pessoas que pretendem dizer-me qual o caminho para seguir é nulo. Por outro lado sinto-me muito atraida pela filosofia budista. Sob o meu ponto de vista a solução ideal para esse dilema é encontrar o meu proprio caminho e que esse caminho for "dentro do sistema".

Pela minha enorme sorpresa - e é uma sorpresa imensamente agradável -exactamente isso acontece. Aceitar essos principios de compaixão, de procura de sabedoria e de alegria de viver não é para mim aceitar principios alheios que alguem me quer impor e que não poderia aceitar, mas é pelo contrario poder ser eu mesma, como sou de natureza sem necessidade de fazer qualquer coisa para agradar a quem seja.

Por tudo isso sinto-me actualmente no mundo como um peixe na agua. Não por não ter problema pessoal ninhum, nem por não ver a péssima situação económica, social, ecológica neste planeta, mas simplesmente por sentir profundamente que estou onde devo de estar, que este mundo e também o meu e que sou capaz de lidar com o que pode acontecer tentando tirar o maior proveito possivel de qualquer situação por mais negativa que possa aparecer.

Naturalmente essa é apenas uma "declaração geral". Há tantissimas coisas mais para dizer, mas não há pressa, não achas ?

"O libro tibetano da vida e da morte" ? Pois, olha o que tenho aqui !

Uma companheira falou-me deste libro noutro dia e disse que era fantastico só que ela não conseguia ler mais de mais o menos 10 paginas duma vez porque é preciso digerir a informação. Como tem 500 paginas, pois parece que será um projecto a longo prazo :)

E agora naturalmente quero ouvir de ti o que a filosofia budista representa para ti !

Esta vez os acentos o tildes que faltam não é por perguiça, é por erro por isso agradeço correcções :)

Mas para ser positiva não vou dizer que estou avergonhada de escrever em português o estilo duma menina de 12 anos vou dizer que estou orgulhosa de conseguir escrever um texto sobre um tema complicado com um vocabulario e umas estructuras linguisticas básicas.

9 comentários:

LuCe disse...

Xi, essa é uma pergunta difícil :)

Acho que é um caminho para a libertação do sofrimento, para a gnose. Mas nem sei mais o que diga...

Anônimo disse...

Já escevi o meu post de resposta ao teu. Já está publicado no meu blog português. Será que ainda o lês hoje ? Provavelmente não.
Fico à espera.
Até amanhã-
:)))) Zé-Carlos

P.S.- Vejo que não tiveste nenhum comentário. Será que foi por acharem que era uma questão entre nós dois só ?

WOLKENGEDANKEN disse...

Bom dia Zé-Carlos !

Obrigada pelo post longo e interessante :)Há varios puntos que gostaria de comentar em detalhes, mas fica para ou esta noite (depende da hora que volto para casa)ou domingo!

Acho muito util deixar um tempo de reflexao antes de escrever qualquer coisa mais longa porque até se fizermos qualquer outra coisa o cerebro já trabalha e depois só temos que escrever um texto já practivamente feito. E assim que escrevi sempre todos os trabalhos em tempos de estudos.E muitos anos depois li nalgum sitio que é um fantastico metodo de criatividade. Ja tinha descoberto sozinha :))

Penso que a minha reposta será meio publica e meio privada (por mail). Que há coisas que nao quero ver publicadas num blog.

Que passes um dia muito bom :)

Anônimo disse...

P.S.- É o que eu chamo deixar "aboborar" !
:)) Zé-Carlos

Anônimo disse...

P.S.2 - Enquanto espero, vamos às correcções :
1- pOntos
2- detalhe (no singular ; é um galicismo, mas toda a gente usa)
3- hora A que voltas
4- Útil
5- reflexÃo
6- cÉrebro
7- praticamente
8- fantÁtico
9- mÉtodo
10- reSposta
11- pÚblica
12- nÃo

E pronto. :)) Zé-Carlos

Anônimo disse...

P.S.
Enganei-me -não é fantÁtico, é fantÁStico !
;)) Zé-Carlos

WOLKENGEDANKEN disse...

Obrigadissima pelas emendas ! Mas tenho um prqueno problema: nem faco ideia como se pode corregir um comentario : (

ALMARIADA disse...

Eu também acho fantástico que a incorrecção do português não perturbe nada a compreensão do texto! :)

Pelo contrário: o teu português (exótico?) acrescenta encanto à mensagem!

Devo confessar que em geral basta um erro mínimo para me incomodar...

Os meus parabéns pelo esforço conseguido! E os meus agradecimentos por me libertares da excessiva atenção à forma!

Por outro lado escreves muito bem, apesar das incorrecções o que ainda acho mais fantástico! É que já li muitos textos perfeitamente correctos sintática e gramaticalmente mas... :(

horrivelmente mal escritos.

De modo que, mais uma vez, obrigada! Estou contente por ter descoberto que escrever bem é qualquer coisa indefinível! :)

WOLKENGEDANKEN disse...

Querida Almariada: obrigadissima pelo portugues "exotico" em lugar de "cheio de erros" :))

E interessante o que estas a dizer sobre a irritacao que podemos sentir ao ver erros num texto: acho que faz uma grande diferenca se sao erros duma pessoa de lingua materna ou nao.

Primeiro os tipicos erros dum "native speaker" sao outros que os erros de alguem que se expressa numa lingua extrangeira. Por exemplo imagino que é irritante ver algo como "A muito tempo" sem "h" (até me irrita a mim :)) )ou algo como "xegar" que sao tipicos erros dum nativo portugues pouco formado ou legastenico.... Os meus erros sao outros .....Nao que sejam menos erros, mas sao ...... diferentes.

Obrigada pelos mimos. Fico contente que gostas da minha "prosa" :))

Nao sei qual o criterio de escrever "bem". Provavelmente e questao de gostos individuais. Para mim pessoalmente o criterio é se o texto "toca-me" ou nao, se sinto a emocao, o entusiasmo, o interesse duma pessoa real detras.

Há por exemplo um tipo de poesia "intelectual" que é para mim uma "composicao" de bonitas frases de maxima complicacao gramatical possivel com um vocabulario elitista que obriga até uma pessoa culta a consultar algum dicionario, mas que nao transmite absolutamente nada, menos - tal vez - uma certa admiracao pelos conhecimentos linguisticos do autor. E depois há poemas de poucas palavras mas tao fortes que sao capazes de fazer chorar de emocao.

A mesma coisa em pintura: umas poucas linhas ou cores podem expressar tudo um mundo e outros quadros tecnicamente perfeitos sao, pois...... tecnicamente perfeitos e nada mais.

Para textos tecnicos naturalmnete os criterios sao outros. Nao interessa a emocao mas a claridade, a logica,a qualidade do argumento, a boa presentacao.

Aparecem problemas quando se mixturam estos dois tipos de finalidades: os tecnicos que escrevem poemas como se fossem modos de emprego e os poetas que escrevem artigos cientificos como se fossem contos de fada :))

Uma muito boa tarde para ti!